Janela do meu quarto

Agosto 8, 2007

                          

No instante em que abro a janela do mesmo quarto, meus coelhinhos voltam a me atormentar

olhando a única parede verde tomando meu toddy, a cidade dorme, enquanto meu sono dispersa e dá espaço aos dilúvios internos que dão voltas e voltas a fio

sento e ouço a mesma música, que me guia nessas noites angustiantes, e nostálgicas de certa forma

me desculpe tantos rodeios, mas no meu ponto de vista, não há provas suficientes de que as palavras expliquem, ou sequer esboçem qualquer pensamento em sua forma mais bruta, das mais variadas interpretações

neste diálogo solitário, entre mim e a parede, eu continuo a observar uma cidade que ainda dorme e muitos sonham, afujentando alguns de meus tormentos

finalmente dou meu último gole, sabendo que amanhã mais um toddy virá e mais coelhinhos  me visitarão enquanto olho a mesma parede verde

 

p.s/preciso vomitar coelhinhos.

Anúncios

“E se você fosse embora, por exemplo, se partisse sem olhar para trás, assumindo a solidão, sabendo que pode ser um erro, um grave erro, mas que você se sentiria bem assim mesmo, faria isso? Perderia a segurança, mas o que significa estar seguro? Alguém está? Você poderia admitir, sem se enganar, que realmente está seguro?” – do livro Apanhador No Campo de Centeio

 

eu costumo espalhar minhas fotos pela casa, todas no chão e sentar no sofá para me ver.eu faço isso sempre quando quero ficar perto de mim, eu lembro bem de uma foto em especial na qual eu sempre coloco no canto direito, pelo simples motivo de ter que virar o rosto para ver, sempre achei isso tão curioso. pois o ponto de vista é algo totalmente diferente, mesmo nos meus maiores sentimentos efemeros tinha a certeza, de que eu não estava em casa.

p.s/:Ana Carla em crise de egocentrismo – bom, é isso aí! 😀

 

Sensibilidade verbal

Julho 13, 2007

O nosso primeiro post poderia ser classificado como pura rasgação de seda. Pois que seja. Eu já até achei que fosse sem préstimo ficar falando coisas bonitinhas para as pessoas, mais a essa altura penso que não seja. Já que a vida é tão amarga e dura com todos, ou quase todos, por que não enfeitá-la com belas palavras sobre as pessoas? E que estas sejam ditas a elas sem hesitar! Nossa existência aqui é curta e quando morrermos nada mais vai importar, então vamos aproveitar nosso tempo e fazer as pessoas ao nosso redor felizes, nos fazer felizes! Elogios e críticas podem mudar vidas, portanto vamos fazer uso dessas duas ferramentas com devida competência. Avise o chato que ele é difícil de suportar e diga àquela pessoa legal que ela faz diferença na sua vida! Nossas palavras mudarão vidas!Vamos parar com essa bobagem de ficar pensado e fazendo projeções psicológicas das pessoas, precisamos demonstrar o quanto elas são importantes pra gente, ou não. Porque as pessoas chegam e passam em nossa vida, às vezes muito rápido e não dá tempo pra avisar a elas que são extraordinárias para nós. Se não fizermos isso, se não deixarmos uma lembrança nossa nas pessoas que gostamos, de que adianta estarmos aqui? Estaremos desmerecendo nossa existência. A partir de hoje, de agora, vamos preencher os pequenos e grandes vazios nos corações à nossa volta, e isso se reverterá para nós mesmos.Fui ridícula? E daí?